domingo, abril 05, 2009

a terra é plana.

quero chorar.
agora.
o completo mar que está dentro de mim.
colocá-lo para fora em um grito que afogue o mundo!

pois minha mente já está inundada,
e os sentimentos flutuam pelas minhas veias,
como uma navegação desequilibrada e caótica,
perdida no oceano eterno de vida submersa.

respiro.
e a água penetra meu coração,
enche meu corpo tão completo
de sal e areia e marfim.

a escuridão me toma,
me beija, me escolhe,
me silencia.
é surda, muda e cega.
me quer amar e perder.

mas quem se perde sou eu
na linha do horizonte,
sem antes nem depois,
caindo na idéia do velho mundo...

de que o mar acaba em um abismo sem fim.

4 comentários:

Rayssa Galvão disse...

querida, você está muitos anos atrasada. agora, as águas revolvem sem fim dentro da gente até que não cabe mais nada, simplesmente.


ou então:

essa idéia de abismo e acabou é só mais uma ilusão barata, mesmo.

Raphael disse...

É lindo, e é triste.
Na verdade, é muito desesperador.
Eu não sei se capto as mensagens, mas se tiver acertado, eu só posso imaginar o turbilhão de emoções nessas palavras. Que tudo melhore. E a linha do horizonte, nunca será um abismo

luctoller disse...

Você escreve muito bem, parabéns. :)

Também faço poemas...

Nathany disse...

Parabéns, teu blog é muito bom, principalmente o texto "Ciclo momentâneo e vicioso", foi o que eu mais gostei. Continue assim!